LINGUAGEM MÉDICA
 

AFORISMO, AFORISMA

        Há, em grego, duas palavras muito semelhantes: aphórisma, atos, que significa posto à parte, e aphorismós, oû, que, entre outras acepções, tem a de definição curta, sentença.[1] Foi neste sentido que a palavra aforismo entrou para o vocabulário médico em um dos livros mais conhecidos e traduzidos da história da medicina: Os Aforismos, de Hipócrates. Ao todo são 413 sentenças agrupadas em 7 seções, resumindo todos os conhecimentos da medicina empírica da época.

        O primeiro dos aforismos hipocráticos é, talvez, a melhor definição da arte médica de todos os tempos, jamais superada: A vida é breve, a arte é longa, a ocasião fugidia, a experiência enganosa, o julgamento difícil.

        Do grego, o termo veio para o latim - aphorismus - e deste para as línguas modernas: inglês e alemão, aphorism; francês, aphorisme; italiano, espanhol e português, aforismo.

        Com certa freqüência deparamos em escritos médicos com o termo aforisma em lugar de aforismo, equívoco que deve ser evitado, pois aforisma tem outro significado na terminologia médica. Embora pouco utilizado, designa um hematoma resultante da rotura de um vaso sanguíneo.[2][3]
 
 

Referências bibliográficas

1. BAILLY, A.: Dictionnaire grec-français, 16. ed. Paris, Lib. Hachette, 1950
2. HIPPOCRATES: The Loeb Classical Library. , vol. 4, London, W. Heinemann Ltd., 1972, p. 98-216
3. PINTO, P.A. - Dicionário de termos médicos, 8. ed. Rio de Janeiro, Ed. Científica, 1962.
 

Publicado no livro Linguagem Médica, 4a. ed., Goiânia, Ed. Kelps, 2011.  

Joffre M de Rezende
Prof. Emérito da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Goiás
e-mail: joffremr@ig.com.br
http://www.jmrezende.com.br