LINGUAGEM MÉDICA

COLHEITA E COLETA

        Ambos os termos são usados com frequência em trabalhos científicos. Diz-se, por exemplo: "colheita de material para exame", "colheita de sangue", "colheita de urina". Diz-se também "coleta de dados", "coleta de amostras", "coleta de exemplares" (insetos, plantas, etc.).

        São sinônimos? Podemos empregar indistintamente colheita e coleta?

        Tanto um como o outro vocábulo provêm do particípio passado plural do verbo latino colligere, que deu origem, em português, aos verbos colher e coligir, o primeiro através do latim vulgar e o segundo por via erudita.

        Coleta, entretanto, já existia como substantivo no latim clássico (collecta), significando tanto contribuição pecuniária, como reunião de várias coisas.[1] A partir de coleta formou-se o verbo coletar com sentido análogo aos dois já mencionados.

        Colheita e coleta são, portanto, formas divergentes, isto é palavras diferentes oriundas da mesma palavra latina, no caso o verbo colligere.

        As palavras divergentes quase sempre adquirem significado próprio com a evolução da língua. "Apesar da origem comum, tais formas não são geralmente sinônimas. A diferença de aspecto mórfico importa quase sempre distinção de sentido".[2]

        Embora colheita e coleta possam equivaler-se em muitas situações, adquiriram ambos os termos significados próprios. Usa-se colheita tanto para expressar a safra agrícola de um determinado período, como o ato de colher ou a apanha desses produtos. Em um sentido mais genérico, colheita é tudo aquilo que se obtém, que se colhe. Coleta é usado com referência a impostos, arrecadações para obras beneficentes ou despesas comuns. Significa também o ato de recolher, sejam contribuições dadas espontaneamente como auxílio para um determinado fim, sejam objetos, correspondências, votos, etc.

        No tocante à linguagem médica colheita é usado de preferência quando se colhe alguma coisa individualmente (colheita de sangue, colheita de urina, etc.) e coleta quando se trata da obtenção de material, dados, amostras ou informações de uma coletividade ou de arquivos que os contenham.
 

Referências bibliográficas

1. SARAIVA, F.R.S. - Dicionario latino-português, 9.ed. Rio de Janeiro, Liv. Garnier, 1993.
2. COUTINHO, I.L. - Pontos de gramática histórica, 5.ed. Rio de Janeiro, Liv. Acadêmica, 1962, p. 235.
 

 
Publicado no livro Linguagem Médica, 4a. ed., Goiânia, Ed. Kelps, 2011.  

Joffre M de Rezende
Prof. Emérito da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Goiás
e-mail: joffremr@ig.com.br
http://www.jmrezende.com.br