LINGUAGEM MÉDICA
 

ENVOLVIMENTO, ENVOLVER

        Talvez por influência do inglês involvement, a palavra envolvimento e o verbo envolver, em português, vêm sendo abusivamente empregados em textos médicos, e com tal extensão semântica que praticamente excluem outros recursos de que dispõe o nosso idioma para expressar a ideia de comprometer, acometer, alcançar, atingir, afetar, abranger, estender-se a etc.
        Envolver tem várias acepções, porém, em linguagem médica, é quase sempre usado em apenas duas: a de revestir, dispor em volta, circundar; e a de comprometer, atingir, afetar, etc.
        Em determinadas construções o sentido se torna ambíguo. Ex.: "O rim foi envolvido pelo processo inflamatório". O processo inflamatório alcançou, afetou, atingiu, comprometeu o rim, ou se dispôs em torno do órgão?
        Envolver deriva do verbo latino involvo, ere, que se traduz por enrolar, enroscar, dispor ao redor, cobrir, rodear.[1] Somente por extensão semântica envolver passou a ter em português sentido mais abrangente. Ex.: "Envolveu-se com o caso"; "esteve envolvido no crime"; "o seu envolvimento com o narcotráfico..."
        Em linguagem médica, contudo, não é apropriado usar-se envolvimento a torto e a direita, como se vê frequentemente.   As seguintes frases, colhidas de textos médicos, exemplificam o uso abusivo e inadequado de tais vocábulos.

    "O envolvimento da pele é multiforme..."
    "O envolvimento renal se traduz por proteinúria e hematúria..."
    "As lesões vasculares podem envolver apenas determinadas artérias..."
    "O reto pode ser envolvido pela radiação..."
    "Os sinais de envolvimento das suprarrenais podem manifestar-se desde o início..."
    "Esses envolvimentos se devem à liberação de toxinas..."

    É evidente que a nossa maltratada língua oferece outras possibilidades de expressão, que substituem com vantagem o anfibológico envolvimento e o verbo envolver.

Referência bibliográfica

1. SARAIVA, F.R.S. - Dicionario latino-português, 9.ed. Rio de Janeiro, Liv. Garnier, 1993 


Publicado no livro Linguagem Médica, 3a. ed., Goiânia, AB Editora e Distribuidora de Livros Ltda, 2004..  

Joffre M de Rezende
Prof. Emérito da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Goiás
Membro da Sociedade Brasileira de História da Medicina
e-mail: joffremr@ig.com.br
http://www.jmrezende.com.br

10/09/2004.

j