LINGUAGEM MÉDICA

CITOLOGIA EXFOLIATIVA

        A citologia exfoliativa consiste no exame microscópico de células descamadas de um órgão ou cavidade, sendo um método muito utilizado no diagnóstico precoce do carcinoma do colo uterino.
        Os léxicos contemporâneos, inclusive o Vocabulário Ortográfico da Academia Brasileira de Letras, abonam tanto exfoliativa (com x), como esfoliativa (com s).[1]
        Qual seria a melhor opção?
        A palavra é de origem latina, embora contenha o prefixo grego ex-. Em latim já se havia constituído o verbo exfolio, are, do qual deriva o verbo exfoliar (ou esfoliar) em português.
        Do verbo exfoliar formou-se o adjetivo exfoliativo; o sufixo latino -ivus(-ivo em português) forma adjetivos a partir dos radicais de particípios verbais, com noção de referência, modo de ser, ação. Ex.: afirmat-ivo, demonstrat-ivo, combat-ivo, atrat-ivo.[2]
        Na passagem do latim para as línguas neolatinas, o x antes de consoante tornou-se s, porquanto a pronúncia ks da letra x deixara de existir no latim vulgar.[3]
        Nas palavras eruditas, porém, especialmente naquelas formadas com prefixo ex-, que significa para fora, o x é pronunciado ora com o som de cs ou cz, ora como z ou s. Ex.: extrofia, exantema, exaustão, excreção.
        Os dicionários modernos não são concordantes quanto a melhor grafia do verbo exfoliar e seus cognatos. O  Michaelis registra esfoliação (com s) como termo de botânica, de cirurgia e de geologia, e exfoliação (com x) como termo de medicina. (como se a cirurgia não fizesse parte da medicina).[4] Os cognatos esfoliado, esfoliar e esfoliativo só aparecem com s. O Aurélio sec. XXI averba esfoliação, esfoliado, esfoliar e esfoliativo, e também exfoliação, exfoliado e exfoliativo.[5] O  Dicionário Houaiss só registra a forma com x: exfoliação, exfoliado, exfoliante e exfoliar.[6]
        Tratando-se de expressão própria do vocabulário médico, definidora de uma modalidade de exame, mais correto será seguirmos a trilha das palavras eruditas, tal como em espanhol, francês e inglês, que usam, respectivamente, exfoliativo, exfoliatif e exfoliative.
        Assim, a melhor opção é, sem dúvida, exfoliativa, (com x), que foi adotada pelo Prof. Luís Rey em seu excelente Dicionário de termos técnicos de medicina e saúde.[7] A própria morfologia da palavra, escrita com x, faz acudir à nossa mente o seu significado: ex, para fora + folium, folha, lâmina.

 

Referências bibliográficas

1. ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS: Vocabulário ortográfico da língua portuguesa, 3a. ed. Rio de Janeiro, Imprensa Nacional, 1999.
2. CUNHA, Antônio Geraldo da: Dicionário etimológico. Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 1982.
3 WILLIAMS, Edwin B.: Do latim ao português. Rio de Janeiro, INL, 1961.
4.MICHAELIS - Moderno dicionário da língua portuguesa. São Paulo, Cia. Melhoramentos, 1998.
5.FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda - Novo dicionário da língua portuguesa, 3.ed. Rio de Janeiro, Ed. Nova Fronteira, 1999.
6.HOUAISS, Antônio, VILLAR, Mauro de Salles – Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro, Objetiva, 2001
7 REY, Luís. Dicionário de termos técnicos de medicina e saúde. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan S.A., 1999.

 Publicado no livro Linguagem Médica, 3a. ed., Goiânia, AB Editora e Distribuidora de Livros Ltda, 2004..  

Joffre M de Rezende
Prof. Emérito da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Goiás
Membro da Sociedade Brasileira de História da Medicina
e-mail: joffremr@ig.com.br
http://www.jmrezende.com.br

10/10/2004.