LINGUAGEM MÉDICA
 

FÊMUR, FEMORAL

        Causa estranheza os léxicos registrarem o adjetivo femoral com o na penúltima sílaba, quando fêmur se escreve com u.

        À primeira vista poderia parecer que a forma correta deveria ser femural, de femur + sufixo -al.

        Femur é palavra latina usada por escritores clássicos para designar a coxa. Celsus chamou femur ao osso da coxa, comparando-o ao úmero, enquanto a palavra coxa referia-se ao osso da anca ou quadril.[1] O uso consagrou femur, em latim, para nomear o osso da coxa, o que foi sancionado pela Nomina Anatomica.

        O adjetivo femoral não se formou em português pela adição do sufixo -al ao substantivo fêmur. O adjetivo já existia em latim sob a forma femoralis e como tal passou para as línguas modernas com as adaptações próprias a cada idioma. Assim, temos femoral em inglês e espanhol; femorale em italiano, e fémoral ou fémorale em francês.

        Vê-se que em todas as línguas citadas foi mantida a vogal o na segunda sílaba.

        O termo femoral, além de atender ao ideal de uniformidade internacional da nomenclatura anatômica, encontra-se averbado em praticamente todos os léxicos, desde o de Eduardo Faria (1856) [2] até o Aurélio século XXI (1999). [3]
 

Referências bibliográficas

1. CELSUS - De Medicina, VII. 1. The Loeb Classical Library, 1971, vol. 3, p. 490
FARIA, Eduardo de: Novo dicionário da língua portuguesa, 2 ed. Lisboa, Typographia Lisbonense, 1856
FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda: Novo dicionário da língua portuguesa, 3.ed. Rio de Janeiro, Ed. Nova Fronteira, 1999.

Publicado no livro Linguagem Médica, 3a. ed., Goiânia, AB Editora e Distribuidora de Livros Ltda, 2004..  

Joffre M de Rezende
Prof. Emérito da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Goiás
Membro da Sociedade Brasileira de História da Medicina
e-mail: joffremr@ig.com.br
http://www.jmrezende.com.br

Atualizado em 10/09/2004.