HISTÓRIA DA MEDICINA
 

A ALERGIA DE MISS HAMPTON E AS LUVAS CIRÚRGICAS


Nota de Direito Autoral:  O texto deste artigo foi publicado em 2009  no livro "À sombra do plátano" pela Editora UNIFESP. A reprodução do mesmo por meio impresso ou eletrônico requer autorização prévia da Editora [http://www.fapunifesp.edu.br fone: (11) 3369-4000]


        O uso das luvas cirúrgicas de borracha, em substituição às luvas de pano introduzidas por Mikulicz em 1881, teve início no Hospital John Hopkins, em 1890.
        O Hospital John Hopkins, em Baltimore, nos Estados Unidos, estava destinado a revolucionar o ensino e a prática da medicina. No ano de 1889, quando abriu suas portas, o ensino médico achava-se desacreditado naquele país por seu baixo nível e pelas facilidades de se obter um diploma de médico.
        O Hospital foi especialmente construído para servir de base a um curso médico de alto padrão, no qual os professores seriam ao mesmo tempo os Chefes dos Departamentos correspondentes do Hospital. Foram inicialmente escolhidos para essa dupla função William Welch, patologista, com 34 anos; William Osler, clínico, com 39 anos; William Halsted, cirurgião, com 37; e Howard Kelly, ginecologista, com 31 anos de idade. Coincidentemente três deles tinham o mesmo prenome - William.
        O curso de graduação só teve início em 1895 e a seleção dos alunos foi tão rigorosa que levou Osler a comentar com Welch: "Tivemos sorte de entrar como professores, porque seguramente não seríamos aceitos como alunos".
        Os quatro jovens médicos modificaram radicalmente o ensino médico nos Estados Unidos. Como disse o próprio Welch: "Acabamos de vez com a idéia de que se pode formar um médico com a leitura de livros e preleções teóricas ". Baltimore passou a ser a Meca da medicina no início deste século.1
        Halsted era um cirurgião meticuloso e entusiasta dos métodos de antissepsia preconizados por Lister. Todos os integrantes de sua equipe cirúrgica, além de lavar, deveriam mergulhar as mãos em uma solução de ácido carbólico (ácido fênico) antes das operações. 

 

        Sua enfermeira-chefe, Miss Caroline Hampton, que o auxiliava na sala de operações, passou a apresentar eczema nas mãos pela solução de ácido carbólico usada como antisséptico para as mãos.. Em lugar de substituir sua auxiliar, Halsted decidiu encomendar à Goodyear um par de luvas de borracha delgada, de modo que ela pudesse, calçando as luvas, mergulhar as mãos na solução sem maiores conseqüências. Um dos assistentes de Halsted percebeu que a luva representava na realidade a melhor maneira de se obter a assepsia, porquanto poderia ser previamente esterilizada e propôs que todos na equipe passassem a usar luvas idênticas às de Miss Hampton.
        As luvas cirúrgicas de látex foram rapidamente adotadas em outros hospitais dos Estados Unidos e da Europa e tornaram-se parte do ritual cirúrgico desde então.
        A motivação e o interesse de Halsted por sua eficiente colaboradora, como ficou demonstrado, não eram apenas de ordem técnica. No dia 4 de julho de 1890, um ano e meio após a inauguração do Hospital, eles se casaram.
 
 

JJoffre M de Rezende
Prof. Emérito da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Goiás
Membro da Sociedade Brasileira de História da Medicina
e-mail: joffremr@ig.com.br
http://www.jmrezende.com.br