LINGUAGEM MÉDICA
 

PANTURRILHA, PANTORRILHA

        Dá-se neste caso um fenômeno linguístico curioso. O termo técnico utilizado para traduzir em português o latim sura é panturrilha, cujo sentido é o mesmo da expressão popular barriga da perna.
        A denominação latina sura passou para o português, porém é pouco empregada, tendo sobrevivido quase que exclusivamente no adjetivo sural (relativo à panturrilha).
        Há consenso entre os lexicógrafos de que a palavra panturrilha provém do espanhol pantorrilla. Há dúvidas, entretanto, quanto à origem da palavra pantorrilla. Admite-se que possa ser derivada do latim pantex, icis, que significa barriga, tripas, intestinos. De pantex, icis formou-se igualmente pança com o mesmo sentido de barriga (espanhol, panza; francês, panse).
        Corominas e Pascual [1], contudo, julgam difícil explicar a terminação -illa e sugerem um possível cruzamento com bandurria, instrumento cujo formato bojudo lembra o abdome. Argumentam com a sobrevivência em asturiano de pantorria por pantorilla e com o uso popular de bandorria e bandorra para designar a barriga das ovelhas e de outros animais.
        Panturra, em português, também significa barriga e empanturrado, em linguagem popular, é aquele que comeu em demasia.
        A comparação da face posterior da perna ao ventre remonta aos clássicos gregos. Hipócrates, Aristóteles e Galeno referem-se à face posterior da perna como gastroknemía ou gastroknéme, cujo significado é exatamente barriga da perna (gastér, ventre + knéme, perna).[2][3][4] O nome grego foi aproveitado para designar um dos músculos que formam o tríceps sural - o músculo gastrocnêmio, cuja principal função é a elevação do calcanhar, sendo por isso muito utilizado pelas bailarinas.
        A analogia da face posterior da perna com o ventre é encontrada também em outros idiomas, como o árabe, eslavo e malaio.[1]
        Em outras línguas ocidentais, entretanto, as denominações populares utilizadas para nomear a panturrilha fundamenta-se na consistência carnosa, mole, da face posterior da perna, em contraposição à face ântero-medial, óssea, dura. Assim, temos mollet, em francês,[5] e polpáccio, em italiano.[6] Em inglês se diz calf, cuja etimologia é desconhecida.[7]
        Resumindo, podemos concluir que gastrocnêmio, que designa um dos músculos surais; panturrilha, que substituiu sura na linguagem médica, e barriga da perna, do linguajar popular, têm, todos, a mesma filiação etimológica.
        Em relação à grafia, encontramos duas formas: pantorrilha, mais próxima do espanhol, e panturrilha (com u). Esta última é preferível, tendo sido a forma adotada na tradução da Nomina Anatômica pela Comissão Luso-Brasileira de Nomenclatura Morfológica.[8]

Referências bibliográficas

1. COROMINAS, J., PASCUAL, J.A. - Diccionario crítico etimológico castellano e hispánico. Madrid, Ed. Gredos, 1984.
2. HIPPOCRATES - Peri arthron LX, 33. The Loeb Classical Library, vol. III. Cambridge, Harvard University Press, 1972, p. 344
3; ARISTOTLE - Historia animalium XV, 494a. The Loeb Classical Library. Vol. I. Cambridge, Harvard University Press, 1979, p. 52.
4. DURLING, R.J. - A dictionary of medical terms in Galen. Leiden, E.J. Brill, 1993, p. 101.
5. ROBERT, P.- Dictionnaire alphabétique et analogique de la langue française. Paris, Dictionnaires Le Robert, 1987.
6. SPINELLI, Vincenzi & CASASANTA, Mário: Dizionario completo italiano-portughese (brasileiro). Milano, Ed. Ulrico Hoepli, 1985.
7. OXFORD ENGLISH DICTIONARY (Shorter), 3.ed. Oxford, Claredon Press, 1978.
8. COMISSÃO LUSO-BRASILEIRA DE NOMENCLATURA MORFOLÓGICA: Nomenclatura anatômica da língua portuguesa. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 1977.  

Publicado no livro Linguagem Médica, 3a. ed., Goiânia, AB Editora e Distribuidora de Livros Ltda, 2004..  

Joffre M de Rezende
Prof. Emérito da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Goiás
Membro da Sociedade Brasileira de História da Medicina
e-mail: joffremr@ig.com.br
http://www.jmrezende.com.br

10/9/2004.