LINGUAGEM MÉDICA

SEVERO

        É comum dizer-se doença severa ou forma severa de determinada doença, com o sentido de mau prognóstico. Também se emprega severo (a) para caracterizar a maior intensidade de um sintoma. Ex.: tosse severa, diarréia severa, hipertensão severa etc.

        O uso cada vez mais frequente de severo (a) com as acepções acima referidas decorre das más traduções do inglês para o português ou do hábito da leitura de textos médicos em inglês. Severe,em inglês, é palavra adequada a estas situações, porém severo em português é outra coisa; quer dizer rigoroso, austero, sério, circunspecto, duro, rígido, inflexível. Em linguagem literária e em sentido figurado, também se emprega severo com o significado de saliente, distinto, bem definido.[1]

        Em linguagem médica, severo é um falso cognato de severe, em inglês, e não deve ser empregado.

        A classificação da hipertensão arterial da Organização Mundial de Saúde, por exemplo, na versão em inglês, estadia a pressão arterial em mild, moderate and severe, que deve traduzir-se em português por leve, moderada e grave[2] e não em leve, moderada e severa, como se vê freqüentemente.

        Para definir mau prognóstico o termo adequado é grave. Devemos dizer doença grave ou forma grave de uma determinada doença. Para descrever a maior intensidade de um sintoma temos, entre outros, os adjetivos intenso, persistente, acentuado. Ex.: dor intensa, tosse persistente, cifose acentuada, etc.

        Assim, quem desejar preservar a linguagem médica vernácula das influências alienígenas deve usar outros adjetivos em lugar de severo (a).

        Existem muitas palavras em inglês que devemos adotar em sua forma original ou aportuguesada, por não haver tradução correspondente em nosso idioma. Tal não é o caso, entretanto. Trata-se de mero adjetivo, para cuja tradução possui a língua portuguesa vocábulos apropriados.

        Muitas traduções de livros médicos no Brasil fazem lembrar a história do jornalista brasileiro que, em um despacho telegráfico de Assunção, capital do Paraguai, informava que as lagostas estavam destruindo as plantações do charco paraguaio. Ocorre que langosta em espanhol significa também gafanhotos e as plantações estavam localizadas na província do Chaco.
 

Referências bibliográficas

1. FERREIRA, A.B.H. - Novo dicionário da língua portuguesa, 3.ed. Rio de Janeiro, Ed. Nova Fronteira, 1999.
2. JARDIM, P.C.B.V., SOUSA, A.L.L., MONEGO, EA. – Hipertensão araterial. In PORTO, C.C. – Doenças do coração. Prevenção e tratamento. Rio de Janeiro, Ed. Guanabara Koogan S.A., 1998, p. 453-460.

 Publicado no livro Linguagem Médica, 3a. ed., Goiânia, AB Editora e Distribuidora de Livros Ltda, 2004..  

Joffre M de Rezende
Prof. Emérito da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Goiás
Membro da Sociedade Brasileira de História da Medicina
e-mail: joffremr@ig.com.br
http://www.jmrezende.com.br

10/9/2004.